ROMU Osasco | Visão Oeste
   

       A fama de que Osasco é uma cidade perigosa não é atual. Entre as décadas de 1990 e 2000, a cidade foi destaque negativo em diversas manchetes em jornais televisivos quando o assunto era tráfico de drogas, homicídios e roubo de veículos. Todavia, a realidade da cidade mudou: de 9622,05 delitos a cada 100 mil habitantes em 2001, a cidade registrou cerca de 3065,81 delitos no ano de 2020, segundo dados da SSP. A queda mais expressiva foi nos dados de homicídios.

Ações como a urbanização de diversas ocupações irregulares como Portal D'Oeste, Jardim Conceição, Jardim Cipava II e Vila dos Artistas foram um fator determinante para a melhora dos dados criminais. Desde que os ex-prefeitos Celso Gíglio (in memoriam) e Emídio de Souza (PT), criaram projetos habitacionais abrangentes para a estruturação de bairros até então esquecidos, índices caíram significativamente em tais regiões em função da entrada facilitada de órgãos de segurança pública. "Lembro que (aqui) no Jardim Veloso o tráfico amarrava pessoas nuas em postes e elas eram juradas de morte. Hoje em dia a gente pode andar na rua e conversar com os nossos vizinhos sem ter medo", afirma Ângela Matheus, moradora do Veloso.

A criação de programas como os CEUs (Centro de Educação Unificado) em locais como o Jardim Primeiro de Maio, assim como investimentos nas áreas da cultura, educação e lazer também podem ter sido fatores determinantes para a queda de tais números. "Tiraram as nossas crianças da rua, hoje em dia elas se sentem parte da cidade e da sociedade. Se no passado 10 iam para o mal caminho hoje vão três. A educação é o caminho", afirma Maria Antônia, professora de sociologia em uma escola (não identificada) na Zona Sul de Osasco.

Durante a gestão Jorge Lapas (PDT) foi criado o programa DETECTA, no qual foram implantadas câmeras de alta definição em diversos pontos do município. A ação foi ampliada em grande escala pelo atual prefeito Rogério Lins (PODE), que instalou os equipamentos em praticamente todos os bairros osasquenses. O Centro de Operações Integradas mantém o monitoramento de todos os locais determinados e auxilia a Guarda Civil Municipal, Polícia Civil e Polícia Militar em ações de combate a criminalidade, eficiência foi elogiada ao vivo pelo jornalista Datena devido à localização de uma moto roubada na região do Quitaúna.

A criação da ROMU (Ronda Ostensiva Municipal) em 2019, órgão de Segurança pública que teve treinamento com policiais da ROTA (Ronda Ostensiva Tobias Aguiar) para realizar patrulhas e diversas ações de combate ao tráfico de drogas e prevenção de delitos no território da cidade tornou-se um divisor de águas na dinâmica da cidade, pois a instituição passou a adentrar locais que não eram cobertos pela Policia Militar com frequência. 

Dados da Secretaria de Segurança Pública



Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

Segurança

Saúde