Rogério Lins e Ana Rossi - Correio Paulista

       Rogério Lins foi eleito Prefeito de Osasco em 2016 com 61,21% dos votos válidos em segundo turno contra o ex-prefeito Jorge Lapas, configurando-se como o prefeito mais votado na história de Osasco. Com apoio de Francisco Rossi, sua esposa, Ana Rossi, entrou na chapa como vice-prefeita. Lins é formado em Direito e já havia sido eleito vereador durante dois mandatos seguidos.

Em junho de 2016, seu gabinete foi alvo da operação Caça-Fantasma, do Ministério Público do Estado de São Paulo. A ação investigava esquema fraudulento de funcionários fantasmas na Câmara Municipal de Osasco. Rogério Lins, na época, negou irregularidades mas acabou sendo detido, configurando-se como foragido durante uma semana devido uma viagem que teria feito com sua família para a Disney.

Inicio do mandato

O início do mandato foi regado com algumas controvérsias. Rogério Lins afirmou que fecharia a Prefeitura de Osasco por pelo menos dois anos para um balanço financeiro e verificar a "saúde monetária" da cidade. Todavia, tal procedimento não chegou a ocorrer. Outra desistência do Prefeito foi a alteração do projeto do Novo Paço Municipal da cidade para um Hospital com estrutura semelhante ao Hospital das Clínicas, na Capital Paulista, abandono do projeto se deu após reuniões com empresários abandonou a ideia. 

As danças das cadeiras nas secretarias municipais também foram outro destaque negativo da gestão. Muitas secretarias trocaram de nome até se estabilizarem como estão atualmente. A mudança mais polêmica foi a troca do Secretário da Cultura por conta de uma imagem que fazia parte de uma chamada para a reunião setorial sobre Artes Visuais e Grafite, que aconteceu na Escola de Artes César Antonio Salvi (entenda o caso). Após ataques homofóbicos por parte do Vereador Daniel Matias, o secretário da cultura foi exonerado, causando diversas críticas pelas redes sociais.

Habitação


Conjunto Miguel Costa - TV Osasco
A área da Habitação em Osasco sem dúvidas é um dos maiores desafios desde os anos 1990, quando houveram a maior parte das ocupações irregulares na cidade. O objetivo de todos os prefeitos desde então foi promover estruturações, regularizações fundiárias e a construção de Unidades Habitacionais de Interesse Social. Desde a gestão Emídio de Souza (PT) a cidade tem um programa estabelecido na área de moradias populares.

Rogério Lins promoveu a conclusão de um projeto iniciado na gestão Jorge Lapas (PDT) chamado "Conjunto Miguel Costa", que trouxe diversas polêmicas. Os apartamentos foram destinados aos moradores de uma antiga favela no Rochdale, que foi removida para obras antienchentes. Porém, houve diversos entraves entre o exército e a Prefeitura, resultando na criação de um viaduto que ligará o novo bairro planejado ao Quitaúna.

Projetos de estruturação no bairro Açucará (extremo norte da cidade) estão sendo realizados. A implantação de guias, sarjetas, asfalto e iluminação pública estão dentre as principais demandas atendidas. Projetos já em andamento como apartamentos no Portal D'Oeste, Veloso e no Munhoz Jr foram concluídos, assim como a criação de um novo projeto no bairro Novo Osasco com obras já iniciadas. Um passo importante na área da habitação será a construção de um conjunto habitacional na região das Favelas 13 e 14, que será reintegradas após solicitação de empresários e obras de reestruturação do Jaguaribe em projeto realizado nessa gestão (clique aqui e saiba mais).

Em suma, obras importantes foram concluídas e projetos importantes foram realizados, porém, nada foi criado como novidade para de fato resolver o déficit habitacional da cidade, que configura-se como o maior da região. 

Segurança


ROMU - Visão Oeste
Uma das principais promessas de campanha da gestão de fato foram os investimentos em segurança após a alta na criminalidade regional em 2015. A criação da Ronda Ostensiva Municipal (ROMU) foi o maior investimento. A corporação é uma "tropa de elite" que atua de forma semelhante à Polícia Militar e todos os guardas do repartimento tiveram treinamento com a Ronda Ostensiva Tobias Aguiar (ROTA), conhecida por grandes operações de combate a criminalidade na Região Metropolitana.

O programa DETECTA, criado na gestão Jorge Lapas (PDT), foi ampliado com a instalação de câmeras de alta definição em pelo menos todos os bairros da cidade, além disso, a implantação de iluminação de LED também tem se tornado realidade em diversos locais, com promessa de atingir 100% de cobertura até o final do mandato.

Os índices criminais de Osasco de fato caíram progressivamente, retirando a cidade do ranking das 10 mais perigosas do país. Foi a segunda gestão que mais investiu em segurança pública proporcionalmente, após o governo do ex-prefeito Emídio de Souza (PT), que foi responsável por implantar o efetivo feminino e incrementar a Guarda Civil Municipal.

Saúde


Hospital Antônio Giglio - Visão Oeste

Na área da Saúde, um dos maiores destaques é a implantação de Pediatria 24 Horas em diversos bairros, assim como a reforma e revitalização de Unidades Básicas de Saúde e Pronto Socorros que passou a ocorrer em massa no segundo semestre de 2020. Houve também a ampliação do número de leitos na Maternidade Municipal Amador Aguiar e no Hospital Municipal Antônio Giglio. Na maternidade, além de leitos conjuntos para mães e bebês houve a criação de 20 novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva, ambulatório pediátrico e o Centro de Fisioterapia. 


Osasco foi destaque nacional com relação a infraestrutura criada para combater o COVID-19. Foram criados dois hospitais de campanha, além de leitos no Hospital Municipal Antônio Giglio e no Hospital Regional, em parceria com o Governo do Estado de São Paulo, colocando a cidade como um dos locais com maior infraestrutura de atendimento da Região Metropolitana, e a maior da região.

Foi criado também um centro de oncologia e um convênio com as Clínicas Lambert para a realização de exames na rede pública.

Educação

Creche Municipal

A gestão atual foi responsável pela criação de um número expressivo de vagas em creches. Além da construção de unidades educacionais em diversos extremos que não contavam com o equipamento, foi criado o Mundo Criança, em parceria com a FITO, nas unidades da Zona Sul e Zona Norte da Fundação, que foi responsável pela geração do maior número de vagas. O mandato foi extremamente eficiente na área da educação.


Zeladoria e infraestrutura Urbana


Jaguaribe - Prefeitura de Osasco

O Programa asfalto Novo atendeu e continua atendendo diversas ruas das zonas norte e sul da cidade. Até o momento foi o maior programa de recapeamento criado pela Prefeitura de Osasco em questão de quilometragem. O que possibilitou sua execução foi um empréstimo realizado junto do Programa Desenvolve SP, do Governo do Estado de São Paulo.

A zeladoria urbana foi outro destaque positivo. Poda de árvores, gramados públicos aparados, calçadas públicas revitalizadas e manutenção de Parques Ecológicos Municipais foram uma marca do governo de Rogério Lins. Além disso, foi implantada em diversos pontos da cidade a acessibilidade para cadeirantes e deficientes visuais na travessia de pedestres.

Rochdale

Rochdale

Durante a gestão Jorge Lapas (PDT) foi criada uma operação urbana para atender bairro Rochdale, na Zona Norte de Osasco. O programa consiste na retirada de moradias irregulares localizadas na beira do braço morto do Rio Tietê, que também está sendo alargado e desassoreado, para a implantação de avenida, moradias populares, unidade educacional e Unidade Básica de Saúde.

A nova UBS já foi inaugurada e está em operação. Apesar das obras terem sido paralisadas durante boa parte do mandato, no primeiro semestre de 2020 foram retomadas e já ultrapassaram dos 50% até a conclusão, segundo informações da Prefeitura. A obra prevê melhora de mais de 90% nos alagamentos do local.

Operações Urbanas Consorciadas Tietê I, II e construção de novo Paço Municipal

Paço Municipal

Nas gestões de Emídio de Souza (PT) e Jorge Lapas (PDT) foram criadas as Operações Urbanas Consorciadas Tietê I e II, que tinham como objetivo revitalizar toda a margem do Rio Tietê nas zonas norte e sul. Parte do projeto previa a construção de um Parque Linear e a transferência da Prefeitura de Osasco da Avenida Bussocaba até o bairro Bonfim.


As obras do Novo Paço Municipal foram iniciadas e tiveram andamento durante a gestão de Rogério Lins, porém foram novamente paralisadas e, segundo a Prefeitura, por falta de verba não puderam ser concluídas. O terreno possuí 4.998 m2, fica em frente á estação da CPTM em Osasco e ele foi a leilão pela empresa Mega leilões por R$ 48.196.915, 40. A área não recebeu nenhum lance e voltará a receber ofertas. A Prefeitura não se pronunciou sobre o assunto, mas o futuro proprietário poderá fazer o que bem entender com o terreno.

Entenda as controvérsias sobre o assunto CLICANDO AQUI.

Transporte Público

Urubupungá
No setor de transporte público a cidade teve importantes avanços como a criação de um Bilhete único municipal (entenda como funciona) e a compra de diversos carros com Ar condicionado e acessibilidade para as frotas das Viações Urubupungá e Osasco. Todavia, não houve a criação de nenhuma nova linha ou alguma mudança expressiva no setor de transporte da cidade, que continua com o monopólio de apenas duas empresas.


Conclusão

A gestão não recebeu grandes críticas por conta da execução de importantes projetos ao redor da cidade, porém, houveram déficits em diversos aspectos, sobretudo com relação a projetos já realizados e iniciados em gestões anteriores. Muitas dúvidas sobre contratos e licitações cercam os pensamentos da população. As propostas para 2021 devem ser minunciosamente estudadas para que haja a certeza de coerência com o que já foi realizado.


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

Segurança

Saúde