Foto: Osasco Notícias


       A Favela 13 existe há cerca de 50 anos localizada no bairro Jardim Santo Antônio e se estabilizou por anos, sem crescimento. Todavia, desde 2018 o terreno conhecido como "campinho" localizado na Avenida Flora, no Jaguaribe, vem sido ocupado irregularmente por residências precárias, ao lado dos condomínios residenciais Amazônia e Mata Atlântica. A principal polêmica que acompanha a ocupação é o roubo de energia, ocasionando queda de luz em determinados momentos do dia, fato esse que já foi noticiado pela redação da Osascomídia nesse artigo

Lotes Comercializados

      Após o crescimento da Favela 14, começou a crescer diretamente na Avenida Flora, a Favela 15. Segundo o artigo do Web Jornal Osasco Notícias, a comercialização de lotes no terreno tem ocorrido com preços que variam de R$ 25 mil até R$ 60 mil, dependendo da proximidade com a pista. Muitos moradores ainda afirmam que os novos habitantes do terreno são beneficiários de programas habitacionais fornecidos pela Prefeitura de Osasco em gestões anteriores, além de pessoas oriundas da reintegração que ocorreu em Carapicuíba.

       Moradores do Jaguaribe denunciam ainda que essa ocupação tem ocorrido a mando de alguma organização, que vem ameaçando os moradores de residências e condomínios próximos que se opõe à comercialização dos lotes clandestinos no terreno.

Situação do Jaguaribe

       Constantes reclamações de moradores do Jaguaribe são recepcionadas pela redação da Osascomídia. Os munícipes reclamam, além das quedas de energia, dos pancadões, da sujeira e do aumento expressivo na criminalidade da região. O número de relatos de assaltos saltou expressivamente de 2015 até 2020. Em 2019 os moradores do bairro chegaram a criar uma petição solicitando a reintegração da área.

Prefeitura de Osasco

      Na gestão Emídio criou-se um programa de urbanização que previa, na época, a construção de pelo menos 80 moradias, número que atualmente estaria longe de suprir a demanda do local. O eixo da "13" faz parte do projeto inicial da Avenida Visconde de Nova Granada, que deveria prosseguir até a Rodovia Raposo Tavares.
       
       No início de 2020 houve uma promessa do Prefeito Rogério Lins de que haveria uma intermediação por parte da Prefeitura e os proprietários do terreno, a Família Jaguaribe, para que no local houvesse a construção de um serviço que geraria diversos empregos. Os moradores do bairro se animaram mas coma  vinda da pandemia a Prefeitura de Osasco não falou mais sobre o assunto.

Redação

       Osasco precisa renovar seu programa habitacional de forma a evitar novas fraudes e novas ocupações irregulares nos terrenos da cidade, algo que vem acontecido constantemente desde que o programa criado na gestão Emídio passou a ser ineficiente. Conhecendo as necessidades de famílias de favelas, a Prefeitura deveria evitar que organizações criminosas se aproveitassem da vulnerabilidade dessa parcela da população para lucrar de forma ilícita. 
     

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

Segurança

Saúde