Hagop Garagem

Fonte: http://www.hagopgaragem.com/osasco_ceneart_60.html

A lei estadual n° 605 criou o Ginásio estadual de Osasco (GEO) em 02 de abril de 1950.

Em 29 de janeiro de 1951 outra lei estadual de n° 968 criou o Colégio Estadual de Osasco (CEO).

Em janeiro do ano seguinte assume a primeira diretora Professora Araci Ferreira Leite.

Em março de 1952 o curso ginasial começou a funcionar, no prédio do Grupo escolar "Marechal Bittencourt".

Em maio deste mesmo ano assume a direção da escola a professora Helena de Arruda Ramos.

Através do decreto n° 21.726 a escola passa chamar-se Colégio estadual Antônio Raposo Tavares (CEART).

Em 1953 tem início o curso colegial na escola seu primeiro professor efetivo chamava-se Alcyr de Oliveira Porciúncula e tomou posse em 19 de março de 1953.

No dia 19 de março de 1963 iniciaram-se as aulas no novo prédio construído especialmente para o "CENEART" e junto aconteceu a instalação do curso colegial clássico.

A lei n° 8416 de 19 de abril de 1964 criou o curso de Formação de professores Primários, Curso Normal.

Em 13 de março de 1965 a secretaria estadual de educação autoriza o funcionamento da escola Normal e no dia 25 do mesmo mês e ano acontece a instalação solene do curso.

Em outubro de 1968 tem início a construção do Ginásio de Esportes coberto, com fundos obtidos em campanhas promovidas por professores e alunos.

Apesar do município de Osasco ter tido forte influência estrangeira nos seus primórdios, essa presença não é tão evidente na década de 1960, pelo menos no quadro de alunos do CENEART, apenas 16% de pais e mães (declarados no livro de matrícula de 1965) são estrangeiros, dentre os quais encontramos japoneses (3%), italianos (1%), portugueses (5%), armênios (2%), libaneses (1%), romenos, poloneses, lituanos, ucranianos, russos, argentinos.
Isso demonstra um passado de forte imigração que abrangeu grupos de diferentes nações, mas que na década de 1960 já não era realidade em Osasco.


O Jornal “A Região” do saudoso amigo e companheiro rotário João Macedo de Oliveira, possuía uma coluna especial intitulada “Vida nas Escolas” que trazia eventos ocorridos em várias escolas da região. Mas principalmente notícias do CENEART - até por que o fato de João Macedo fazer parte da Associação de Pais e Mestres do Colégio e Escola Normal Estadual Antonio Raposo Tavares facilitava a publicação de notícias da escola em seu jornal

Aqui um exemplo de notícia na coluna do jornal “A Região” de 03/07/66:
“Os alunos (do CENEART) promoveram o baile Fraternidade nos salões do Atlético, ontem, com renda em favor da Creche Maria Ss. Trindade. A festa contou com a presença de várias autoridades locais e de conhecidas figuras do nosso comércio e indústria. O famoso “homem de sapato branco” Jacinto Figueira Junior (canal 2) esteve presente, prestigiando a promoção beneficente. A comissão dos festejos esteve a cargo das Srtas. Maria M. Gallo, Vera Almeida e Sonia R. Gallo e do jovem Roberto José Reis. Recorda-se que a doação do prédio onde está instalada a creche foi feita pelo Comendador José A. Couto Arêvalo (Espanhol do ferro velho) e é dirigida pelas beneméritas Sras. Aldayr Piton, Adelba Araujo Freire e Francisca Aparecida Mattos.


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem