Imagem de Leandro Palmeira

Atendendo a um pedido da Prefeitura de Osasco, a Sabesp está ampliando a rede de coleta e tratamento de esgoto na cidade. Estão previstos, até 2026, investimentos nos valores de de R$ 259 milhões com a implantação de 150 km de rede e ligações, 40 km de coletores-tronco, interceptores e linhas de recalque (tubulação para bombeamento) e quatro estações elevatórias, dentre outras medidas.

Segundo a empresa, todas essas obras visam ampliar a cobertura gradativa da rede de esgoto em todo o município, em especial na zona Norte, que atenderá bairros como Vila Menck, Mutinga, Rochdale, Aliança e Munhoz.

Algumas dessas obras devem ser iniciadas já no mês de setembro, como as travessias de esgoto que serão implantadas abaixo do rio Tietê e da rodovia Castello Branco, e a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) compacta no Parque Glauco Vilas Boas, no Jardim Três Montanhas, que tratará o esgoto coletado por redes implantadas recentemente. A mesma alternativa está sendo avaliada para a implantação no bairro Colinas D'Oeste.

Osasco conta atualmente com 766 km de rede coletora de esgoto, sendo 565 km na zona Sul e 201 km na zona Norte. De acordo com a Sabesp, é possível considerar ao todo 808 km de extensão se forem incluídos os coletores e interceptores que enviam os efluentes para a Estação de Tratamento de Esgoto, em Barueri.

Ainda segundo a companhia, a coleta de esgoto é mensurada de duas formas: pelo índice de cobertura, que mostra quantas ligações domiciliares no município já podem se conectar à rede coletora de esgoto e atualmente está em 82%; e pelo índice de atendimento, hoje em 75%, que indica quantas ligações estão efetivamente conectadas à rede disponível.

No momento, o índice de tratamento de esgoto no município é de 55%. Cada morador ou dono de imóvel em área onde há coleta de esgoto disponível deve verificar se a propriedade está conectada à rede. Caso não esteja, deve solicitar a ligação para que o esgoto possa ser coletado. 

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem