Três moradores de Barueri que preferiram não se identificar enviaram um e-mail de contato para a Osascomídia denunciando casos de furtos e assaltos que têm ocorrido em determinados bairros da cidade. Os anônimos informaram que os dados não são divulgados como deveriam, fazendo-os ficarem à deriva em diversos locais desprotegidos da cidade.

Segundo últimos dados divulgados pela Secretaria Estadual de Segurança Pública, Barueri foi a cidade que mais teve alta em homicídios em toda a região Oeste. A cidade deu um salto de 4 para 9 homicídios no segundo semestre de 2019. O único jornal da região a divulgar tal dado foi o Web Diário, em uma matéria que deu destaque para a queda nos dados de Osasco. Proporcionalmente (por habitante), Barueri está com dados similares aos de Osasco (com 19 homicídios esse semestre) em crimes do gênero.

Os moradores que procuraram o portal, informaram que as imediações da Estação Antônio João (CPTM) estão sofrendo constantemente com pequenos delitos envolvendo assaltos e furtos de celulares, principalmente no caminho entre o Trem e a FATEC da cidade. Além disso, muitos têm denunciado assaltos constantes na região da Alameda Rio Negro e Araguaia, no eixo Alphaville-Tamboré, em especial nos pontos de ônibus.

Em 2015, Barueri se configurava dentre as cidades mais perigosas do Estado de São Paulo devido à uma chacina que ocorreu na divisa da cidade com Osasco. Depois disso a Prefeitura investiu em sua Ronda Ostensiva Municipal e cobrou melhoras na Polícia Militar, diminuindo os índices criminais do local. Porém, nos últimos meses tem ocorrido altas em todos os dados novamente, andando na contramão da maioria das cidades da Região Oeste.

Dentre as reclamações, o fato dos jornais regionais não divulgarem acontecimentos criminais da cidade têm incomodado os munícipes no sentido da Prefeitura não fiscalizar locais necessários devido a falta de informações. Outro problema constante com o qual a cidade sofre são os alagamentos entre Alphaville e Tamboré, que chegaram a arrastar veículos até o Rio Tietê, necessitando do suporte do Corpo de Bombeiros.
Postagem Anterior Próxima Postagem