Osasco

O Brasileiro Mineiro Alberto Santos Dumont foi o responsável pela realização do primeiro voo do mundo com o seu aeroplano 14-Bis, na cidade europeia de Paris. Menos de quatro anos depois, o engenheiro Dimitri Sensaud Lavaud montou o seu avião que foi batizado de Aeroplano São Paulo.

No dia 7 de Janeiro de 1910 Dimitri já tinha conseguido a atenção de toda a imprensa da Capital Paulista, com a sua promessa de que voaria sobre a atual Avenida João Batista. Com um numeroso público, o aeroplano São Paulo conseguiu voar com três metros de altura, uma extensão de 103 metros em seis segundos, o que foi o suficiente para conquistar o entusiasmo de todos os residentes da Vila Osasco.

O aparelho era sustentado sobre três rodas de bicicleta, dotado de um motor a explosão movido a gasolina e com hélices de jequitibá. O avião partiu de seu Chalé, onde localiza-se o atual Museu de Osasco, na Avenida dos Autonomistas até o final da descida da Avenida João Batista.

O inventor, nascido em 1882, chegou ao Brasil no final do século 19, assim como outros europeus que vieram à Osasco na época, fugindo das gueras europeias. Depois do feito, Dimitri foi convidado pelo empresário italiano Antonio Agú a tocar negócios na região.
Osasco
Dimitri se casou com uma brasileira e teve três filhos, arrendou a Cerâmica Osasco (antiga Hervy, no terreno da futura Prefeitura Municipal), que mais tarde se tornaria uma das mais importantes do país.
Ao final da Segunda Guerra Mundial, o nobre, que voltou a viver na França, foi preso. Acusado de colaborar com nazistas durante a ditadura de Hitler. Após oito meses, foi liberado da acusação, considerada injusta, segundo biografia feita pelo Instituto Histórico-Cultural da Aeronáutica.
O tempo na prisão, no entanto, teria o levado a uma depressão que contribuiria com a sua morte por problemas cardíacos, aos 64 anos.

Postagem Anterior Próxima Postagem