Comparativo Adalgisa com ocupação irregular

       Desde a década de 1970, Osasco passou a receber diversos migrantes de todos os lados do país por conta de sua grande influência industrial no estado de São Paulo. Apesar de possuir boa parte dos bairros urbanizados inda no inicio de sua formação, em seu perímetro havia diversos terrenos com problemas judiciais que acabaram por ser ocupados irregularmente, em especial nas periferias das zonas norte e sul.

A gestão Celso Gíglio (in memoriam), na década de 1990, foi uma das principais responsáveis pela urbanização de diversas favelas da Zona Sul. Porém, em função da forma que foi feito na época, o ex-prefeito acabou por criar diversos bairros sem estrutura e com diversos problemas sociais que perduram até os dias de hoje. Ao invés de projetar novos bairros a Prefeitura de Osasco utilizou o desenho orgânico das comunidades para colocar a estrutura básica. 

As gestões Emídio de Souza (PT) e Jorge Lapas (PDT) foram responsáveis por criar novos programas habitacionais que consistiam na construção de diversos conjuntos habitacionais, muitas vezes projetados por escritórios renomados de arquitetura, como o Vigliecca e Associados. Esse sistema não funciona mais. Atualmente a fila da habitação está saturada e essa área parece estar "travada" dentre as prioridades da Prefeitura de Osasco, pois há anos não se vê novas discussões e pautas para a habitação. 

O prefeito reeleito Rogério Lins (PODE) colocou em seu plano diretor que será discutido um novo projeto para que a secretaria de habitação volte nos eixos. Incentivo de programas de mutirão, por exemplo, está dentre as pretensões da atual gestão, assim como discutir sobre a problemática de grandes favelas como a Flamenguinho, no Piratininga, as Favelas 13/14, entre o Santo Antônio e Jaguaribe e a mais problemática de todas: o Morro do Socó, no Bonança. A ultima, em especial, localiza-se em uma área de risco geológico e em épocas de grandes chuvas sofre anualmente com deslizamentos, ocorrendo em muitos casos a morte de diversos habitantes.

Ao mapear os assuntos mais comentados e reivindicados pelos osasquenses em páginas como Osasco do Caos, Ozasco com Z, Osasco Para Todos e Osascomédia, assim como em grupos de reclamações e demandas locais, fica perceptível o número de vezes que essa questão foi levantada. Pelo menos 37% das postagens e comentários são chamando a atenção do poder municipal para tal problemática, em especial por parte de moradores da Avenida Flora, onde há o Projeto Nova Jaguaribe. apesar de constar no plano diretor, até o momento nenhum plano foi colocado em prática.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

Segurança

Saúde