(Sikêra Júnior, apresentador Alerta Nacional - Imagem: Reprodução / Rede TV!) 



Sikêra Júnior, 54 anos, apresentador do Alerta Nacional na Rede TV (emissora de Osasco), durante o programa de Segunda-feira (26), declarou que o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), entrou com recurso no Supremo Tribunal Federal (STF), para  “obrigar o ensino da ideologia de gênero nas escolas brasileiras”. 

O Plano Nacional de Educação mencionado, trata-se de uma alteração na Lei 13.005/2014 para que seja contemplada a prevenção e proibição do bulliying homofóbico. A votação será realizada pelos ministros do STF no dia 11 de novembro.


O apresentador, também se referiu ao partido como “bando de pedófilos”, e afirmou que a sigla tem “taras em crianças”, que quer acabar com a “família brasileira”, e que pretendem trazer a “safadeza” para as escolas. 


Devido estas declarações, o PSOL entrou na Quarta-feira (28), com uma ação criminal contra Sikêra, por difamação e calúnia e também protocolou uma ação civil, contra o apresentador, a emissora, o Jornal da Cidade On-line e o Google para que o conteúdo deixe de ser veiculado.


Segundo o presidente do partido, Juliano Medeiros, com esse discurso, Sikêra Júnior estimula o ódio, a intolerância e a violência contra determinados grupos políticos e ideológicos, em especial contra o PSOL. “O apresentador cria uma fake news grosseira com o único objetivo de ofender a reputação do PSOL. Ele e os veículos que propagaram as suas declarações precisam ser responsabilizados com a mesma gravidade das mentiras criadas”, afirma Medeiros. 


Esta não é a primeira vez que Sikêra Júnior é processado por declarações dadas durante a sua programação, em agosto de 2020, o apresentador foi condenado a pagar R$ 30 mil à modelo transexual Viviany Beleboni, após chamá-la de "raça desgraçada".


Até o momento o apresentador e a Rede TV, não se pronunciaram sobre o tema.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem

Segurança

Saúde